Menu

Product Placement

Product Placement não é merchandising (ou merchan). Esse é um nome errado como o formato se popularizou e ganhou traços de preconceito no Brasil.

47%

Já adquiriram um produto ou serviço depois de ver um filme ou série.

MindMiners - 2021

Product Placement também não é Branded Content. O Branded Content é um conteúdo audiovisual desenvolvido inteiramente pela marca, para divulgação da mensagem da marca. Mas um Branded Content utiliza o Product Placement como ferramenta.

De um modo geral, podemos definir o Product Placement como toda inserção de marca ou produto, de forma natural, dentro de um conteúdo de entretenimento como séries, filmes, realities, programas de variedades, documentários, enfim, conteúdos de ficção ou não ficção.

O formato nasceu ainda no cinema mudo com o filme The Garage, de 1919, que estampou o logo de um posto de gasolina no cenário. No Brasil, fala-se que o primeiro product placement aconteceu nos anos 60, com as Havaianas no seriado Família Trapo, com Jô Soares em cena. Outra versão conta que o ator Luis Gustavo teria criado o product placement ao citar “Engov” repetidamente, à revelia da direção da TV Tupi, nos capítulos da novela Beto Rockfeler, exibida entre 1968 e 1969.

  • The Garage, 1919
  • Família Trapo, 1960

Com o tempo, o formato foi se sofisticando, ganhou novas nomenclaturas, como o Ads Placement, o Destination Placement, o Music Placement… Surge a diferença entre Product Placement passivo - quando a marca ou produto simplesmente ocupa o cenário - e o Brand Integration, onde a marca ou produto aparecem integrados com o roteiro.

Temos o “Product Placement” no nome da empresa, por entender que ele é o formato base, o ponto de partida para a relação entre marca e conteúdo.

Segundo um executivo do Hulu, o product Integration promove:

do que um comercial tradicional

Benefícios do Product Placement

Os benefícios do Product Placement são muitos. Para quem produz, é uma forma de colocar dinheiro em caixa. Mas um bom Product Placement também acrescenta para a história: pode realçar traços de uma personagem, reforçar mensagens, adicionar conflitos.

Quem não lembra da bola Wilson, por exemplo, que se tornou tão importante para o protagonista de “O Náufrago” (2000) a ponto de se tornar praticamente um personagem coadjuvante.

  • 1/3 do público das séries já começou um novo hobby por causa de algo que assistiu.
    Forever Changed: COVID 19`S Last Impact oh the Entertainment Indrustry

As marcas também tem muito a ganhar ao participar do entretenimento, em vez de interromper a diversão com os comerciais: o aumento da intenção de compra e do awareness, a inserção na cultura pop, a conexão afetiva com o público, a validação de hábitos, a criação de uma mensagem perene, o apoio à causa da cultura brasileira.

  • Relevancia Cultural é uma das principais características que levam à decisão de compra.

The Impact of Culture - Magna & Twitter - 2019

Quer saber mais?

Preparamos um e-book especial onde exploramos os principais formatos de integração entre marcas e conteúdos, suas características e benefícios. Baixe nosso e-book gratuitamente clicando abaixo.

Baixe o e-book